Como já era de se esperar já foi publicado o reajuste salarial para o ano de 2018, informação aguardada com muita expectativa por todos e em particular pelos que vivem para manter a cesta básica, para os que vivem para garantir a cesta básica.

Verdade é que o salário mínimo para este ano (260 MT) para a classe mais economicamente desfavorecida nenhuma diferença faz na sua sexta básica que vem sofrendo pressão da inflação (subida de preços generalizado) com destaque para alimentação, transporte, água e energia.

Várias são as comparações que a opinião pública virtual tem feito deste 260 mMT e o que eles podem adquirir no mercado desde frangos a cervejas, verdade é que urge a necessidade de estudar o seu impacto na cesta básica o cidadão reles que é o grosso da nossa população, quantos quilos de feijão, arroz, açúcar, ou mesmo quantos dias de transporte com o sistema de ligações institucionalizado.

Medidas compensatórias para este estrato social precisam ser pensados, pelo menos para garantir que respirem e sobrevivam.

Que se tire tudo do pobre, mas nunca a sua dignidade (cesta básica).

Deixar uma resposta