ONU rejeita a decisão dos EUA de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel

Os EUA votaram contra a resolução, mas ao contrário do Conselho de Segurança composta por 15 membros, na Assembleia Geral da ONU, não tem poder de veto.

Os resultados da votação sobre o estatuto de Jerusalem são apresentados no salão da Assembléia Geral, no dia 21 de Dezembro de 2017, na sede da ONU em Nova York. (AFP)

Mais de 120 países desafiaram o presidente Donald Trump nesta quinta-feira ao votarem a favor de uma resolução da Assembléia Geral da ONU pedindo aos Estados Unidos que abandonem o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel.

Trump ameaçou cortar a ajuda financeira aos países que votaram a favor. Um total de 128 países apoiaram a resolução não vinculativa, 9 votaram contra e 35 se abstiveram. Vinte e um países não votaram.

Moçambique foi um dos 128 países que votou a favor da resolução.

A votação surge após ameaças da embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, que Washington iria anotar os nomes dos países que “desrespeitaram” a América votando contra.

A sessão de emergência da Assembleia das Nações Unidad foi convocada por um conjunto de países árabes. A resolução condena o reconhecimento  de Jerusalem como capital de Israel por parte do governo  de Trump e pedia que os países não mudem suas missões diplomáticas para aquela cidade.

Deixar um comentário