Milhares saem a rua para exigir demissão do Presidente no Togo

O acesso a internet na República de Togo foi restringido numa altura em que o país é palco de fortes protestos populares contra o actual Presidente Faure Gnassingabé. O presidente está no poder desde a morte de seu pai, Gnassingabé Eyadema, que governou o país durante 38 anos. Os manifestantes exigem que Gnassingabé, presidente desde 2005, abandone o poder.

Os protestos foram organizados por uma coligação de partidos da oposição e organizações da sociedade civil e tiveram lugar em várias cidades, sendo que mais protestos estão agendados para hoje.

A polícia entrou em confronto com os apoiantes da oposição que que gritavam “50 anos é demais”.

Os manifestantes afirmaram que não irão parar até que o limite de dois anos de mandato presidencial seja implementado e que os seus membros que foram presos e sentenciados após protestos similares sejam libertos.

A decisão do governo de propor uma emenda constitucional para integrar o limite presidencial de de dois mandados não dissuadiu os manifestantes. Estes acreditam que esta emenda não passa de uma estratégia para estender a governação de Gnassingabé.

Como resultado, a velocidade da internet é lenta e o acesso as redes sociais está limitado.

Saharareporters

Deixar um comentário