Escrutínio no Quénia mergulhado em incerteza após demissão de alto funcionário

Um alto funcionário eleitoral do Quênia renunciou ao seu cargo uma semana antes da realização da repetição das eleições gerais, acusando o conselho eleitoral de não estar em condições de realizar eleições credíveis.

A realização das novas eleições foram decididas pelo Tribunal Supremo no dia 1 de Setembro após anular as eleições de 8 de Agosto, na sequência de uma recurso submetido pelo líder da oposição Raila Odinga.

Odinga retirou-se das eleições na semana passada, por considerar que a comissão eleitoral não implementou as reformas exigidas pela oposição, colocando o país numa profunda incerteza.

A Comissão Eleitoral avançou que o escrutínio irá avançar com os sete candidatos no boletim de voto, incluindo Odinga.

Roselyn Akombe, membro da comissão eleitoral citou a falta de coesão entre os membros e o secretariado como causas de sua renúncia.

“Precisamos que a comissão seja corajosa e fale que as eleições previstas não podem satisfazer as expectativas básicas de uma eleição credível”, afirmou.

Africanindy

Deixar um comentário