União Europeia envia 4 peritos para acompanhar eleições gerais em Angola

O Governo angolano informou a União Europeia (UE) que aceita a presença no país de quatro peritos durante o desenrolar das eleições gerais de 23 de agosto. Angola recusou a assinatura do memorando exigido pela UE para uma Missão de Observação Eleitoral, o que levou a UE a optar pela alternativa de uma missão mais restrita de peritos.

Em geral, a UE envia para um país africano parceiro uma equipa de 200 observadores eleitorais dividida em dois grupos, sendo um de observadores de curta duração e outro de observadores de longa duração com material sofisticado de telecomunicações.

No termo do mandato da Missão, esta publica um relatório definitivo que pode conter recomendações para a melhoria do processo eleitoral ou rejeitar os resultados.

Angola e a UE estão ligadas, através do Acordo de Cotonou, assinado em 2000 pelos 78 países do Grupo de África, Caraíbas e Pacífico (ACP) e os 27 Estados-membros da UE.

Em virtude deste acordo, a UE pode suspender parcial ou totalmente a cooperação com um país ACP por violações graves dos princípios democráticos, como falsificar os resultados das eleições.

Fonte: África 21 Digital

Deixar uma resposta