Libertado refém sul-africano raptado pela Al-Qaeda no Mali em 2011

Na foto, o sueco Johan Gustafsson (à esquerda), o sul-africano Stephen Malcom (ao centro) e o holandês Sjaak Rijke (à direita) em agosto de 2012 / AFP

O refém sul-africano raptado pela Al-Qaeda no Mali em 2011 foi libertado, anunciou hoje o Governo sul-africano.

“O nosso compatriota Stephen McGown foi libertado no dia 29 de julho de 2017. Estamos muito felizes com a sua libertação”, declarou, segundo a agência France Press, a ministra sul-africana dos Negócios Estrangeiros, Maite Nkoana-Mashabane, numa conferência de imprensa em Pretória.

A ministra precisou que McGown foi submetido a um exame médico de rotina, mas não avançou quaisquer detalhes sobre as circunstâncias da libertação.

“Desejamos-lhe um excelente regresso a casa”, acrescentou a governante, recordando que a mãe de McGown morreu este ano.

Stephen McGown, 42 anos, foi raptado em Timbuktu, no norte do Mali, no dia 25 de novembro de 2011. O rapto foi reivindicado pelo grupo jihadista Al-Qaeda no Magreb Islâmico (Aqmi).

Três outros homens foram raptados na mesma altura, um holandês, Sjaak Rijke, libertado em 2015 pelas forças francesas, um sueco, Johan Gustafsson, libertado no final de junho de 2017 e um alemão, que foi morto ao tentar resistir aos raptores.

Lusa

Deixar uma resposta