Forças de Defesa ameaçam ‘intervir’ com golpe de estado no Zimbabwe

O comandante das forças de defesa do Zimbabwe ameaçou desencadear um golpe de estado caso o presidente Robert Mugabe não restaure a ordem no partido no poder, Zanu PF.

A declaração, feita perante figuras emblemáticas do exército zimbabweano e num tom agastado, Constantine Chiwenga disse que o exército está bastante preocupado com “a actual instabilidade política” no país.

A advertência ocorre uma semana após a demissão do vice-presidente Emmerson Mnangagwa pelo Presidente da República.

Os militares eram vistos como fortes apoiantes da candidatura de Mnangagwa para a sucessão de Mugabe, mas a primeira dama aparece como a candidata principal.

No comunicado feito numa sala repleta de generais, incluindo o comandante do exército, o tenente-general Philip Valerio Sibanda, Chiwenga exigiu que Mugabe restaure a ordem na Zanu PF.

Chiwenga culpou as lutas de sucessão da Zanu PF pelos problemas econômicos do país.

“Como resultado da disputa nas fileiras da Zanu PF, o país não registou nenhum desenvolvimento significativo nos últimos cinco anos.

“O impasse econômico resultante deu início a mais desafios para o nosso povo, tais como a escassez e o aumento dos preços dos produtos”.

O comandante afirmou que a instabilidade na Zanu PF teve um impacto negativo na vida socioeconômica e política dos zimbabweanos.

 

Deixar uma resposta