China acusada de espionagem na Sede da União Africana

Sede da União Africana

O edifício da União Africana em Addis Abeba na Etiópia, tem sido vítima de um alegado acto de espionagem perpetrado pela China de acordo com uma investigação do Jornal Francês Le Monde.

A China financiou e construiu o edifício sede da União Africana. A ‘oferta’ é resultado de uma pretensa “parceria de cordialidade” entre a China e África.

A espionagem remonta o ano de 2012, ano da sua inauguração. As primeiras descobertas foram feitas em Janeiro de 2017, quando engenheiros da divisão de Tecnologia de Informação detectaram suspeito aumento da actividade nas horas em que o edifício estava fora de serviço.

O edifício estava totalmente equipado de dispositivos chineses, avança o jornal. De acordo com várias fontes da União Africana, todo conteúdo sensível estava vulnerável aos chineses.

O embaixador da China na União Africana qualificou de absurdo as acusações.

A União Africana adquiriu novos servidores como forma de remediar a situação.

A China financiou e construiu vários edifícios governamentais em Moçambique, com destaque para a Presidência da República, Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, entre outros.

The Verge

Deixar um comentário