Assassinado o Presidente do Município de Nampula, Mahamudo Amurane

Fonte: Voz da América

Foi assassinado no dia 4 de Outubro o Presidente do Conselho Municipal de Nampula, Mahamudo Amurane, protagonizado por indivíduos desconhecidos ainda à monte. Segundo informações confirmadas ao nosso jornal, Amurane foi baleado precisamente na sua residência, localizada no bairro Muhala – Expansão, no início da noite.

De acordo com Assane Raja, vereador da polícia municipal em Nampula, o óbito foi confirmado pelo Hospital Central daquela cidade, por volta das 19 horas. De acordo com aquele vereador, o último acto público de Amurane teve lugar na manhã do dia 4 de Outubro, na Praça do Heróis em Nampula, onde dirigiu as celebrações do Dia da Paz.

O finado foi depositar uma coroa de flores no monumento aos heróis, tendo a seguir dirigido um discurso alusivo à ocasião. “Apresentou esta manhã uma mensagem ao povo de Nampula, onde proferiu um discurso pela paz”, disse Raja. A morte do edil foi confirmada à imprensa pelo Hospital Central de Nampula, apontando como causa, as lesões provocadas pelo baleamento.

Amurane chegou a edil de Nampula como resultado da vitória eleitoral nas autárquicas de 2013, onde concorreu pelo Movimento Democrático de Moçambique (MDM). Há alguns meses, Amurane tinha entrado em rota de colisão com a direcção do seu partido, tendo posteriormente anunciado a sua desvinculação, com promessas de se recandidatar nas eleições do próximo ano, com uma nova força, situação interrompida pelo fatídico assassinato.

O malogrado perde a vida há precisamente um ano e seis dias do fim do seu mandato. Com a morte do edil, abre-se uma vacatura no município de Nampula que, por força da Lei, deverá ser preenchida, temporariamente, pelo presidente da Assembleia Municipal, até a realização de eleições intercalares, caso seja seguido a risca, a letra e o espírito da legislação Amurane nasceu em Nampula, a 2 de Junho de 1973, e era licenciado em Administração de Empresas pela Universidade Católica de Minas Gerais, Brasil.

Antes de se tornar edil trabalhou como consultor independente na prestação de serviços na área de planificação, orçamentação, execução, monitoria, avaliação e processos de gestão do sector público. Entre 2007 a 2012 exerceu a função de assessor financeiro da direcção provincial de Educação e Cultura de Sofala.

Deixar uma resposta